meu mural

Pesquisar no blog

Loading

Seja você também um seguidor do blog ACE Priscila & Amigos

GRUPO ORGULHO EM SER ACE & ACS BRASIL

GRUPO ORGULHO EM SER ACE & ACS BRASIL
GALERA, PARTICIPEM DO GRUPO ORGULHO EM SER ACE & ACS BRASIL

barra social

29 de julho de 2011

Severiano Melo: Agentes de endemias deverão ser efetivados

A Prefeitura Municipal de Severiano Melo assinou acordo com o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte se comprometendo a efetivar os agentes de combate às endemias atualmente em atividade no município, até setembro deste ano. 
Caso descumpra o Termo de Ajustamento de Conduta, o prefeito Silvestre Monteiro Martins terá que pagar multa pessoal no valor de 1% de seu salário, por dia de descumprimento. 
O Termo de Ajustamento de Conduta é de iniciativa de Kaline Cristina Dantas P. Almeida, da 
 
2ª Promotoria de Justiça de Apodi. O acordo tem base na Emenda Constitucional nº 51/06, segundo a qual os agentes comunitários de saúde e os agentes de combate às endemias que em 15 de fevereiro de 2006 já desempenhavam as funções ficam dispensados de se submeter ao processo seletivo, desde que contratados a partir de anterior processo de seleção pública. 
 
Os agentes de combates às endemias atualmente em exercício em Severiano Melo submeteram-se a processo seletivo em 2001 para ingresso no cargo, apresentando a seguinte documentação comprobatória: edital do certame, determinando que o processo seletivo seria composto de provas objetivas e prova prática oral; os contratos de prestação de serviços dos aprovados com a Prefeitura; declaração que os concursados passaram por treinamento na VI URSAP de Pau dos Ferros e recibos de pagamento pelos serviços prestados.

Fonte:  Assessoria de Imprensa do MPRN


Leia Mais…

A CONACS deverá pedir ao Relator e demais Parlamentares que insistam na proposta de que o Governo encaminhe o seu PL para que a discussão avance !

Com o objetivo de concluir as discussões do Piso Salarial Nacional e PL 7495/06 QUE CRIA EMPREGOS PÚBLICOS NA FUNASA, a Comissão Especial que analisa a definição de um piso salarial nacional para agentes comunitários de saúde e agentes de endemias estará realizando seminarios em diversos estados do Brasil.
O primeiro estado que irá ocorrer o seminário será em Goiás, na cidade de GOIÂNIA

no dia (05/08/2011 - SEXTA-FEIRA
Tema: Seminário sobre o Projeto de Lei nº 7.495/06 e seus apensos
.
Coordenador: Deputado JORGE PINHEIRO.

Convidados:

1 - Governador MARCONI PERILO;

2 - Deputado Estadual JARDEL SEBBA, Presidente da Assembléia Legislativa;

3 - Deputado Federal DOMINGOS DUTRA, relator no âmbito da Comissão Espcial;
4 - Deputados Federais PEDRO CHAVES, FLÁVIA MORAIS e LEANDRO VILELA, membros da Comissão Especial;

5 - Prefeito MARCIO CECÍLIO CECILIANO, Presidente da Associação Goiana de Municípios;

6 - Parlamentares da Bancada Federa do Estado de Goiás;

7- Sra. RUTH BRILHANTE DE SOUZA, Presidente da Confederação Nacional dos Agentes
Comunitário de Saúde- CONACS;

8- Dra. ELANE ALVES DE ALMEIDA, Assessora Jurídica da CONACS;

9- HUSAIM KAMAL ED DIM SAMU, Presidente do Conselho Estadual de Secretários de Saúde do Estado de Goiás;
10- ANTÔNIO FALEIROS FILHO, Secretário Estadual de Saúde do Estado de Goiás;
11 - Representantes dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes e Agentes às Endemias de Saúde.

(Req. nº 10/11, autor, Dep. JORGE PINHEIRO.)



Os próximos passos será agora uma reunião com o Ministro Saúde Alexandre Padilha que está marcada para o dia 02/08/2011, e estarão presentes os Parlamentares membros da Comissão Especial. A CONACS deverá pedir ao Relator e demais Parlamentares que insistam na proposta de que o Governo encaminhe o seu PL para que a discussão avance na Comissão Especial. Essa é a condição para a categoria efetivamente se mobilizar na aprovação da regulamentação da EC 29.
Enquanto isso não acontece, me permita ser objetivo quanto ao que se refere a enrrolacão que o governo federal, mais expecíficamente a presidente Dilma Rouseff em não enviar logo esse projeto de lei definindo o valor do nosso piso salarial nacional. Será que a história irá se repetir como aconteceu no ano passado?
Será que não está na hora de tomar-mos uma atitude mais radical como uma greve nacional? enfim que cada um tire as suas próprias conclusões.
Bem, certo estou que minhas motivações não estavam em momento algum apoiadas na expectativa e nem fora da realidade, porém se faze necessário agir e agir logo! e possível sim que a regulamentação saia este ano mais percebo que chegou a hora de pensar seriamente em uma greve nacional.
acs Roberto

Leia Mais…

CONVOCAÇÃO GERAL AOS ACS E ACE DE MINAS GERAIS

REUNIÃO COM O DEPUTADO ESTADUAL ADELMO LEÃO, QUE VAI CHAMAR A AUDIÊNCIA

ESTÁ PRA SER MARCADA UMA GRANDE AUDIÊNCIA PÚBLICA EM BELO HORIZONTE!!! PRECISAMOSDE CONTATO DE COLEGAS DE TODOS OS MUNICÍPIOS DE MINAS PARA A MOBILIZAÇÃO!!!

ACS E ACE DE MINAS QUE VISITAM MEU BLOG, OU DE MEUS COLEGAS QUE REPASSAM ESSE RECADO, FAVOR DEIXAR, SEUS NOMES, E-MAILS E CONTATO TELEFÔNICO EM MEU E-MAIL: pri.primiranda@hotmail.com OU ENTRAREM EM CONTATO COM A MARISA, DIRETORA DO SINDACS-BH ( SINDICATO DOS AGENTES COMUNITÁRIOS DE SAÚDE DE BELO HORIZONTE)  NOS TELEFONES: 3192957030 (TIM) 867616639 (OI) OU
FIXO 38137286 SINDACS.



Leia Mais…

28 de julho de 2011

AOS COLEGAS ITABIRANOS


CAROS COLEGAS ACS E ACE DE ITABIRA,

AQUELES QUE ME CONHECEM SABEM O QUANTO TENHO CORRIDO ATRÁS DE MELHORIAS PARA A NOSSA CATEGORIA.
PARA AQUELES QUE NÃO SABEM, ESTAMOS COM UMA LUTA A NÍVEL NACIONAL, QUE É A REGULAMENTAÇÃO DA EC 63, UMA A NÍVEL ESTADUAL, QUE AINDA NÃO POSSO DIVULGAR NESSE BLOG, MAS VOU PASSAR PARA VOCÊS EM ASSEMBLEIA, E A NOSSA PRINCIPAL NO MOMENTO QUE É A MUNICIPAL.
INFELIZMENTE EM ITABIRA NÃO TEMOS CARGO REGULAMENTADO, EXERCEMOS FUNÇÃO PÚBLICA, E ISSO NOS IMPEDE DE TERMOS VÁRIOS DIREITOS DE UM SERVIDOR PÚBLICO CONCURSADOS.
DURANTE MUITOS ANOS SOFREMOS COM A FALTA E VALORIZAÇÃO POR PARTE DOS GESTORES E COM AS DÚVIDAS SOBRE NOSSO REGIME.
BOM, FUI ALGUMAS VEZES DURANTE ESSE ANO NAS MOBILIZAÇÕES DE BRASÍLIA E ENTRE MUITAS COISAS BOAS QUE LÁ ACONTECERAM PARA MIM A PRINCIPAL FOI A TROCA DE EXPERIÊNCIA COM AGENTES DE OUTROS ESTADOS, LÍDERES POLÍTICOS E SINDICAIS.
APRENDI COMO LIDAR COM A NOSSA SITUAÇÃO E COMECEI A COLOCAR EM PRÁTICA.
TRACEI ALGUMAS ESTRATÉGIAS, E COMECEI A CORRER ATRÁS DE APOIO DE TODAS AS PARTES POSSÍEIS E CABÍVEIS. 
QUANDOS NOS ENVOLVEMOS EM LUTAS PARA MELHORIAS SEJA ELAS QUAIS FOREM ESTAMOS SUJEITOS A OUVIRMOS MUITOS "SIM", MUITOS "NÃO" E PRINCIPALMENTE MUITOS "VOCÊ NÃO VAI CONSEGUIR."
BOM, O "NÃO" QUE MAIS ME SURPREENDEU DURANTE ESSA CAMINHADA FOI O DO PRESIDENTE DO NOSSO SINDICATO, QUE SIMPLESMENTE VIROU AS COSTA PARA NOSSA CATEGORIA.
MAS DEUS SABE O QUE FAZ, ELE PERMITE QUE SE FECHE UMA JANELA PARA ESCANCARAR VÁRIAS PORTAS.
APÓS O "NÃO" DO "REPRESENTANTE DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS," CONSEGUI O APOIO DO SINDACS (SINDICATO DOS AGENTES DE SAÚDE DE BH), DO SINAS - MG, DA DEPUTADA FEDERAL JÔ MORAES DE PCdoB, DA CONLUTAS, DO SECRETÁRIO DA SAÚDE DE ITABIRA ALCIDES ESCOLÁSTICO, DOS DEPUTADOS ESTADUAIS ADELMO LEÃO E LUZIA FERREIRA, DOS VEREADORES PAULO CHAVES E MARTHA MOUZINHO E O ÚLTIMO E QUE MAIS ME SURPREENDEU FOI O DO EDÍLSON LOPES (DA NATRIUM);
ELE NOS OFERECEU OS PANFLETOS PARA DIVULGAÇÃO DE ASSEMBLEIAS E REUNIÕES, USO DO TELEFONE E INTERNET, USO DO ESPAÇO SE PRECISÁMOS, E FICOU DE TENTAR CONSEGUIR COM A CTB UM ÔNIBUS PARA LEVAR OS ACS E ACE PARA BRASÍLIA NA PRÓXIMA MOBILIZAÇÃO.   

O QUE FALTA AGORA?

ESTÁ AGENDADA UMA ASSEMBLEIA NA CÂMARA MUNICIPAL DE ITABIRA PARA O DIA 4 DE AGOSTO ÁS 18H.
PARA REGULAMENTAR NOSSO CARGO É PRECISO QUE O PREFEITO FAÇA UMA LEI E ENCAMINHE PARA A VOTAÇÃO, POR ISSO A NECESSIDADE DE APOIOS POLÍTICOS COMO VEREADORES PRINCIPALMENTE.
FALTA TAMBÉM OS ACS E ACE DE ITABIRA ACORDAREM PRA LUTA, VESTIREM A CAMISA E MOSTRAR QUE TAMBÉM SOMOS GUERREIROS E QUE TEMOS CAPACIDADE DE LUTAR PARA ALCANÇARMOS NOSSOS OBJETIVOS.

MEUS AMIGOS, OUTRO DIA, AO DIVULGAR QUE ESTRARIA TRAVANDO UMA GUERRA AQUI EM ITABIRA E MOBILIZAR NOSSA CATEGORIA OUVI DE UM COLEGA QUE EU IRIA ME DECEPCIONAR, POIS O MÁXIMO QUE EU IRIA CONSEGUIR ERA LEVAR OS AGENTES PRA ALGUMAS REUNIÕES, POIS ITABIRANO É ACOMODADO POR NATUREZA.
EU NÃO CREIO QUE NOSSA CATEGORIA SEJA TÃO DIFERENTE DA QUE VI E BRASÍLIA NO DIA 9 DE JULHO LOTANDO OITO PLENÁRIOS EM AUDIÊNCIA PÚBLICA. GENTE QUE FEZ TRÊS DIAS DE VIAGEM DE ÔNIBUS, PAGANDO TODAS AS DESPESAS COM O POUCO QUE RECEBE PARA LUTAR POR MELHORIA PARA TODOS.
CREIO SIM QUE SOMOS UMA CATEGORIA COM CAPACIDADE DE SE UNIR E CONQUISTAR VÁRIAS VITÓRIAS!
PREPAREM-SE COLEGAS, POIS JUNTOS SOMOS MUITO FORTES E ITABIRA VAI SE SURPREENDER COM A FORÇA QUE TEM OS ACS E ACE!

ABRAÇOS DA COLEGA, ACE PRISCILA  

acepriscila.blogspot.com
tel: 87192523 oi, 9325193 tim, 82250755 claro, 96488875 vivo
pri.primiranda@hotmail.com              

Leia Mais…

27 de julho de 2011

SINDACS-PE, Firme em busca de negociações em Paulista-PE.




Conforme combinado em reunião no dia 25 de Julho entre o SINDACS-PE. e o Secretário de Projeto Especiais do Município, Srº Alencar.

O SINDACS-PE  foi hoje até o Município de Paulista-PE, e levou o Ofício de nº 68/2011, Solicitando uma reunião com o Srº Prefeito Yves Ribeiro e em anexo a Pauta feita pelos ACS-Agentes Comunitário de Saúde em Assembleia do dia 17 de Fevereiro 2011.

       PAUTA

- Repasse do Incentivo Integral,

- Ticket Alimentação,

- Aumento do Valor da Produtividade SUS,

- Incorporação dos Agentes de Saúde no PCCV- Plano de Cargo Carreira e Vencimento,

- Curso Técnico de Formação dos ACS, 2º e 3º Modulo.



Haja vista, que está mesma Pauta foi enviada para Secretaria de Saúde do Município, junto com um Ofício para uma reunião com a Secretária de Saúde, Srº Terezinha Amouzinho, há 04(Quatros) meses atrás, mas não houve resposta até o presente momento.




A Diretoria do SINDACS-PE, também cumprindo com o combina em reunião com o Secretário de Planejamento e Meio Ambiente Srº Jorge Carrero, foram até seu gabinete e deixaram a cópia do Projeto de Produtividade e Desempenho de Equipe, já aprovado e implantado em Recife e a Pauta das reivindicações dos ACS de Paulista, acima citada.

Leia Mais…

Ministério Público do Estado manda Município Efetivar Agentes de Endemias.



A Prefeitura Municipal de Severiano Melo-RN, assinou acordo com o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte se comprometendo a efetivar os Agentes de Combate às Endemias atualmente em atividade no município, até setembro deste ano.

Caso descumpra o Termo de Ajustamento de Conduta, o prefeito Silvestre Monteiro Martins terá que pagar multa pessoal no valor de 1% de seu salário, por dia de descumprimento.

O Termo de Ajustamento de Conduta é de iniciativa de Kaline Cristina Dantas P. Almeida, da 2ª Promotoria de Justiça de Apodi.

O acordo tem base na Emenda Constitucional nº 51/06, segundo a qual os Agentes Comunitários de Saúde e os Agentes de Combate às Endemias que em 15 de fevereiro de 2006 já desempenhavam as funções ficam dispensados de se submeter ao processo seletivo, desde que contratados a partir de anterior processo de seleção pública.

Os Agentes de Combates às Endemias atualmente em exercício em Severiano Melo submeteram-se a processo seletivo em 2001 para ingresso no cargo, apresentando a seguinte documentação comprobatória: edital do certame, determinando que o processo seletivo seria composto de provas objetivas e prova prática oral; os contratos de prestação de serviços dos aprovados com a Prefeitura; declaração que os concursados passaram por treinamento na VI URSAP de Pau dos Ferros e recibos de pagamento pelos serviços prestados.


Fonte: MP/RN

Leia Mais…

26 de julho de 2011

VEJA AQUI A TABELA DO PIS E A BAIXO A TABELA DO PASEP

O governo federal e parceria com a caixa econômica federal divulga todo ano o calendário do PIS e o calendário pasep 2011/2012 para os trabalhadores com renda de até R$ 1.020,00 reais para consulta do saldo do pis 2011/2012. 
Quem tem direito ao abono salarial e ao saque do pis 2011/2012 são os trabalhadores que já estão com vínculo a mais de 5 anos no Pis e no Pasep, tem direito de receber seu saldo pis pasep em 2011 e 2012 de acordo com o tempo de serviço trabalhado e assinado em carteira e se a pessoa com mais de 5 anos de carteira assinada trabalhou no máximo 30 dias no ano anterior também tem o direito de receber seu pis ou pasep ano 2011/2012.
Caledário do PIS/Pasep 2011 provisório veja as datas:
Saque na Caixa Economica Federal:  

Nascidos em:Recebem a partir de:Recebem Até:
  • Julho
  • Agosto
  • Setembro
  • Outubro
  • Novembro
  • Dezembro
  • Janeiro
  • Fevereiro
  • Março
  • Abril
  • Maio
  • Junho
  • 11/08/2011
  • 18/08/2011 
  • 25/08/2011
  • 14/09/2011
  • 21/09/2011
  • 28/09/2011
  • 14/10/2011
  • 21/10/2011 
  • 28/10/2011 
  • 11/11/2011 
  • 17/11/2011
  • 24/11/2011
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012

Saque no Banco do Brasil:
Final de Inscrição:Início de pagamento:Recebem Até:
  • 0 e 1
  • 2 e 3
  • 4 e 5
  • 6 e 7
  • 8 e 9
  • 11/08/2011
  • 17/08/2011 
  • 24/08/2011
  • 31/08/2011
  • 08/09/2011
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012
  • 30/06/2012 


Fonte: Ministério do Trabalho e do Emprego, Conforme Resolução CODEFAT Nº 645, de 27 de maio de 2010  Lomadee, uma nova espécie na web. A maior plataforma de afiliados da América Latina.

Leia Mais…

ACS É PRESO PELA POLICIA FEDERAL! NÃO DEVE COAGIR A NINGUÉM DEVE SER ACS COM ORGULHO


RJ: acusado de coação, agente comunitário é preso em Magé

Com o apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF), fiscais do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro prenderam nesta segunda-feira o agente comunitário de saúde Anderson Bezerra do Nascimento, o Dinho. Lotado no Posto de Saúde da Família (PSF) do bairro Maria Conga, em Magé, Dinho foi acusado de coação e estava impedido de exercer, desde o início deste mês, a função pública. Além disso, o agente estava obrigado a manter uma distância de pelo menos 1 km do PSF. Mesmo assim, ele continuava frequentando o local.


A fiscalização do TRE recebeu uma denúncia detalhada de que Dinho desrespeitava a determinação judicial e se mantinha presente no PSF Maria Conga. O Ministério Público Eleitoral (MPE), então, pediu a prisão preventiva do servidor, acatada pelo juiz da 110ª Zona Eleitoral. Sem oferecer resistência, o servidor foi preso em casa e levado para a delegacia da PF em Niterói, de onde será encaminhado a um presídio.
Antes de efetuarem a prisão de Dinho, fiscais do TRE haviam realizado uma operação de busca e apreensão em outro imóvel do servidor, que fica próximo de sua residência. Para cumprir a decisão judicial, os fiscais tiveram que arrombar a porta do imóvel, onde encontraram placas institucionais da prefeitura de Magé, com os dizeres "Esta família é atendida pelo PSF Maria Conga". No local, havia também placas de propaganda de um candidato a prefeito.

Leia Mais…

25 de julho de 2011

Secretaria de Saúde do Paulista-PE é a Secretaria dos Intocavéis, diz não mais uma vez aos Agentes de Saúde.




A Secretária de Saúde de Paulista-PE, Diz não mais uma vez, para todos Agentes de Saúde do Município.

Hoje pela manhã a Diretoria do SINDACS-PE  foram falar com a Secretária de Saúde do Paulista-PE, Srª Terezinha Amouzinho, pois a mesma mais um vez  não recebe os representantes da Categoria.





Já fazem mais de 03(três) Meses que a Categoria fez uma pauta de reivindicações em Assembleia e entregou na Secretaria de Saúde do Município na esperança de ser atendidos nossos anseios, mas como já falei, nossos gestores intocáveis não receber ninguém mais uma vez.




Mas Graças a Deus a Diretoria do SINDACS-PE, Incansaveis e determinados a sempre lutar pela Categoria foram em Busca do Prefeito Yves Ribeiro, pois ele sempre diz que em seu governo os Secretarios recebem a População e os Trabalhadores para ouvi suas Reivindicações, mas infelizmente isso não acontece na Secretaria de Saúde do Município na pessoa da Srª Terezinha Amouzinho.

E em busca do Prefeito fomos até o gabinete do Secretário do Governo do Município Laercio, onde fomos recebido por SrºAlencar, Secretário de Projeto Especial, onde ficou decidido que o SINDACS-PE, levaria um Ofício junto com a pauta de reinvidicação da Categoria para agendar uma reunião com  Prefeito Yves Ribeiro.





Companheiros foi quando lembrei de uma pessoa que sempre ajudou os Agentes de Saúde aqui em Paulista, e hoje ele esta fazendo parte do Governo do Município é o nosso Amigo  Jorge Carrero que hoje é Secretário de Planejamento e Meio Ambiente.




Companheiros ele nos recebeu muito bem, prometeu nos ajudar e por incrível que pareça ele tem um Projeto  muito bom para nossa Categoria aqui em Paulista-PE.



QUERO AQUI AGRADECER OS COMPANHEIROS DA DIRETORIA DO SINDACS-PE, PELO EMPENHO DADO PELA NOSSA CATEGORIA EM TODO ESTADO E PRINCIPALMENTE AQUI EM PAULISTA, O QUAL TENHO ACOMPANHADO TUDO DE PERTO.

QUERO TAMBÉM AGRADECER O SECRETÁRIO ALENCAR  E O SECRETÁRIO E AMIGO, JORGE CARRERO, POR NOS RECEBER E PELA PROMESSA DE NOS AJUDAR.


UM ABRAÇO A TODOS.


BIO acs é vida.

Leia Mais…

23 de julho de 2011

As histórias de ex-moradores de rua que viraram agentes de saúde e hoje cuidam da "população invisível"



Agentes de Saúde: Doutores da rua

As histórias de ex-moradores de rua que viraram agentes de saúde e hoje cuidam da "população invisível"

Fernanda Aranda, iG São Paulo. Fotos: Livia Machado | 30/05/2011 09:29

O mendigo que bate na janela do carro e pede esmola pode sofrer da mesma pressão alta do motorista que fecha o vidro e torce para o semáforo abrir rápido.

A hipertensão que prejudica ambos, no entanto, tem formas diferentes de ser vista. No morador de rua, ela é invisível, apesar de ser duas vezes mais incidente do que na população geral.

Para cuidar destes “pacientes fantasmas”, Marivaldo, José Hilmar, José Carlos e Manoel aceitaram dedicar oito horas de seus dias, seis vezes por semana. Eles também já dormiram ao relento, passaram frio e sabem que tudo fica em segundo plano quando não se tem casa para morar. A experiência em viver nas ruas os convenceu de que prevenir doença é sim um instrumento de reinserção social.

Mesmo sem diploma universitário (por enquanto, já que eles vão fazer faculdade) viraram “doutores”. Doutores das ruas. Chamam seus “pacientes” pelo nome (e apelido), fazem ficha médica, levam ao posto e ao hospital quem é ignorado a ponto de passar a fazer parte do cenário urbano como algo imóvel, tal qual uma árvore ou o cimento das calçadas.

A reportagem do iG Saúde acompanhou dois dias de trabalho destes agentes de saúde especiais, ligados à Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo. Em um árduo trabalho que exige caminhar – em média – 15 quilômetros por dia, a equipe leva a melhor medicina ao estilo “olho no olho” para quase todas as esquinas do centro paulistano.

Leitos e estrelas 

Recuperação do pós-cirurgico entre carros, buzinas e gás carbônico
Meio-dia, sol escaldante, população apressada. Para os agentes, um paciente. Para os pedestres que queriam chegar mais rápido à estação Tatuapé, na zona leste paulistana, o homem deitado em plena calçada da Avenida Radial Leste era encarado só como um obstáculo ao tráfego.
José Carlos dos Santos, 46 anos, diz compreender esse comportamento. “Eu também não reparava nos moradores de rua até me tornar um”, afirma, ao aproximar-se do paciente.
Antes de sentir a angústia de ser “lombada viva” nas ruas de São Paulo, Zé Carlos trabalhava como gerente de uma rede de supermercados, com bom salário e boa vida. Perdeu o emprego em 1999. Um ano depois não conseguiu mais pagar o aluguel e, mesmo com estudo completo, acabou nas ruas.
Foram quatro anos sem endereço fixo, dormindo em papelões, em um enredo muito parecido ao enfrentado por aquele homem/obstáculo da Radial Leste que agora era “paciente” do ex-gerente de supermercado, ex-morador de rua e atual agente de saúde.
Cuidar daquele homem – que com a voz rouca disse que acabara de receber alta hospitalar após ficar 40 dias internado por conta de uma fortepneumonia – era mais do que o ofício. Era Zé Carlos fazendo as pazes com o seu passado.
Doenças sem endereço
No dia acompanhado pela reportagem, Zé Carlos percorria a cidade junto com outros três “doutores das ruas”, os agentes José Hilmar de Andrade, 41 anos, Marivaldo da Silva Santos, 36, e Manoel Simões Costa, 61 anos. Todos, diariamente, enfrentam, brigam e fazem as pazes com os dias difíceis que já passaram.
Cada um deles já morou na rua por motivos diferentes. O resgate dessa vida foi feito por meio de um papel pregado nas paredes de todos os albergues municipais de São Paulo em 2004, 2005 e 2006.
Na época, a Prefeitura teve a ideia de formar equipes de Saúde da Família que cuidariam exclusivamente da população de rua. Como sabiam que os pacientes seriam resistentes em tratar as doenças que nem imaginavam ter, a estratégia foi escalar quem já viveu na pele a situação, capacitar estes interessados e transformá-los em ponte entre os moradores das calçadas e as unidades de saúde.
Hoje, já existem 24 equipes de Saúde da Família de Rua, que atuam em 11 Unidades Básicas de Saúde (UBS) distribuídas em 10 Distritos da capital paulistana. Os agentes capacitados ficam responsáveis por pedacinhos da cidade. Cadastram todos os moradores em situação de rua que encontram nas andanças pelo perímetro que fica sob suas responsabilidades. São eles que fazem o cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) dos mendigos, os convencem a procurar o posto médico e, por vezes, a passar pela primeira consulta de suas vidas. Fazer com que não abandonem o tratamento também é missão destes agentes.
Zé Carlos, Hilmar, Marivaldo e Manoel foram aprovados por esta seleção do governo municipal entre 2005 e 2006. Em pouco tempo na nova carreira, ganharam o prefixo “ex” antes das palavras “morador de rua”, classificação que durante anos definiu a situação de vida de todos eles.
Por meio de suas anotações, fichas e encaminhamentos, estes agentes ajudaram a Secretaria de Saúde a desenhar a incidência das doenças que moram a céu aberto. Revelaram que os moradores de rua, além de esquecidos, são hipertensos, diabéticostuberculosos e sofrem com doenças sexualmente transmissíveis e dependência química em níveis muito superiores aos da população em geral.
“De certa forma, conseguimos fazer com que, pelo menos para o SUS paulistano, eles deixem de ser invisíveis”, diz o agente Marivaldo.

As doenças a céu aberto

No último ano foram consultados 1907 moradores de rua. Saiba quais são as doenças mais incidentes. Valor em %
Secretaria Municipal de Saúde de SP
Crack, desilusão e poesia
Marivaldo não deixou a cidade natal Feira de Santana, na Bahia, para ser invisível em São Paulo. Pelo contrário. A oportunidade de trabalhar na cidade grande e ganhar R$ 400, aos 18 anos, como ajudante de obras pintou como a chance dele, pela primeira vez, se destacar.
O sonho do emprego virou pesadelo em apenas três meses. Demitido e sem dinheiro, as ruas em torno da Praça da Sé, marco zero paulistano, viraram a única moradia possível. Neste período, o jovem quase virou notícia. Dormia no mesmo local onde em 1996 os moradores de rua foram brutalmente assassinados.
Naquela noite, Marivaldo tinha mudado “de cama”. Acredita que só por isso não foi morto a pauladas e não estampou a primeira página de todos os jornais do dia seguinte. Driblando as drogas e as bebidas, ele fez da poesia seu único vício. Escrevia compulsivamente em cadernos encontrados no lixo. Em 2005 – pouco depois de encontrar a ressurreição no anúncio da prefeitura – os versos viraram livro.
“Todo o salário que ganhei como agente investi em estudo. Primeiro terminei o ensino fundamental, depois o médio e agora entrei na faculdade de Assistência Social”, conta.
Se Marivaldo conseguiu escapar da sedução das drogas que prometem esquentar o frio e enganar a fome de quem vive na rua, Hilmar e Manoel acreditam que só passaram a viver nas esquinas por causa dos entorpecentes.
“A vida havia perdido o sentido”, lembra Hilmar. “Um dia ganhei R$ 2 mil em um bico. Fui para a rua, torrei tudo em crack e nunca mais aprendi o caminho de volta para casa. Sem documento, sem banho, morei na rua por quatro anos”, conta ele, resgatado da dependência em 2006 pelo mesmo convite para deixar de ser só um viciado e virar agente de saúde.
Já Manoel ganhou o “passaporte” para as ruas aos 56 anos, regado a muito álcool e uma desilusão amorosa. Bem antes disso, aos 16, ele pegou gosto pela bebida tomando o restinho dos drinques que sobravam nos copos dos clientes da churrascaria, no Rio Grande do Sul, onde trabalhava como garçom. Veio para São Paulo, casou e teve um filho. “Bebia demais, era um desgosto” conta.
Um dia brigou com a mulher, saiu de casa para ajudar a descarregar um caminhão. Os trocados pela ajuda ele gastou em álcool. Foi assaltado, perdeu a carteira e a coragem de voltar para família. Ficou na rua por dois anos até ver o anúncio para ser agente de saúde em um albergue onde parou para tomar banho e fazer a barba. Criou a estratégia de anotar todas as gírias faladas na rua em uma caderneta. “Se você desaprende a linguagem deles, não consegue a confiança”, explica o doutor mais velho do grupo.
Leia tambémSobreviventes do crack
Ceia
Foto: Lívia Machado, iG São Paulo
Refeição do dia: salgadinho de bacon, macarrão, pão e água
A ternura que estes doutores da rua carregam em suas visitas diárias contrasta com o passado que tanto os maltratou. Um bate-papo com a população de rua, numerosa e ao mesmo tempo invisível, pode ser o remédio que eles precisam para sair do limbo urbano, procurar ajuda e talvez a reinserção na sociedade, apostam.
Vencer a tuberculose, o diabetes, a hipertensão e a dependência química de seus pacientes já seria desafio suficientemente difícil, mas estes agentes de saúde querem mais.
Ao final da jornada acompanhada pelo iG, Marivaldo, Zé Carlos, Hilmar e Manoel encontraram um grupo de moradores de rua que partilhava salgadinhos, salsichas e miojo. A refeição era calórica e pouco nutritiva para os pacientes que têm índices de hipertensão de 43% e diabetes de 33%.
Mas não era só isso que incomodava os doutores da rua. Eles ainda não conseguem entender por que seus pacientes – que na hora do contato, discutiam literatura e poesia (eles indicaram livros e versos à repórter) – seguem sendo encarados só como lombadas vivas por quem passa com pressa pela rua.
Ao meio-dia, o relógio da rua marca 15 horas
Foto: Livia Machado, iG São Paulo
Ao meio-dia, o relógio da rua marca 15 horas

Divulgação: Mobilização Nacional dos Agentes de Saúde - MNAS
Uma mega rede voltada aos Agentes de Saúde (ACS e ACE)
Twitter: twitter.com/AgentesdeSaude
Jornal dos ACS e ACE: www.agentesdesaude.official.ws
MNAS no MSN: MNAgentesdeSaude.groups.live.com
Canal no YouTube: www.youtube.com/mobilizacaodosacs 
No Orkut: www.orkut.com.br/Main#Community?cmm=88080356 
No Facebook: www.facebook.com/groups/agentesdesaude

Leia Mais…

CONACS SE REUNIU COM O PADILHA NESTA QUINTA-FEIRA ÁS 15H


Ministro da Saúde recebe a CONACS
22/07
Imprimir
A CONACS dá um importe passo rumo à regulamentação do Piso Salarial Nacional, pois nessa quinta-feira, foi recebida pelo Ministro da Saúde, Alexandre Padilha acompanhado de toda sua assessoria.

O Ministro Padilha abriu a reunião dizendo que só com os “trabalhadores fortes teremos um SUS forte”.  Padilha demonstrou ainda estar afinado com a discussão do Piso Salarial e de maneira muito tranqüila conduziu a reunião com os representantes da CONACS e por mais de 2 horas apresentou propostas, idéias, ouviu com atenção as propostas da categoria e as discutiu, sinalizando de forma muito positiva sobre a proposta da implantação escalonada do Piso Salarial apresentada pela CONACS.

RESUMO DAS PROPOSTAS E DISCUSSÃO APRESENTADAS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE
  • O Ministério levará em consideração as deliberações das diversas instâncias de negociação do SUS, e sugeriu a imediata criação do COMITÊ DE DESPRECARIZAÇÃO DOS VÍNCULOS EMPREGATÍSSIOS DOS TRABALHADORES DO SUS, sendo acatado a proposta da CONACS em ser criado dentro desse Comitê um GT (grupo de trabalho) para aprimorar a proposta do Piso Salarial Nacional dos ACS e ACE;
  • Implantação em parceria com a CONACS e outras entidades de uma Pesquisa Nacional em que se levará em consideração o levantamento de dados como:
  1. O nº exato de ACS e ACE em atividade, sexo, idade, e a formação;
  2. Quais as condições de trabalhos, vínculo empregatício, salário, etc;
  • O Ministro acentuou que considera um desafio a regulamentação do Piso Salarial Nacional da categoria, e que no processo de discussão temos que resolver questões como:
  1. Regulamentação da Emenda 29, pois a solução para mais recursos para a Saúde depende da aprovação dos projetos que estão tramitando no Congresso Nacional;
  2. O consenso com os representantes dos Gestores Municipais;
  3. Apoio de todos os Líderes partidários no Congresso Nacional;
DO POSICIOAMENTO DA CONACS

Com o objetivo de concluir as discussões do Piso Salarial Nacional, a CONACS apresentou ao Ministro Padilha a proposta de escalonamento do Piso Salarial, apresentou números esclarecedores sobre o impacto financeiro e principalmente, sugeriu que a discussão do Piso Salarial acontecesse a partir do encaminhamento do PL do Executivo à Câmara de Deputados.

Segundo a Presidente da CONACS Ruth Brilhante: “Sabemos que a regulamentação do Piso Salarial é uma discussão que envolve vários fatores, mas será muito mais fácil encontrar uma solução com o PL do Governo na Câmara de Deputados, fato que servirá inclusive para nos inserirmos de uma vez na mobilização de regulamentação da EC 29 e abrir um canal de diálogo com os gestores”.

DOS ENCAMINHAMENTOS

Entre os principais encaminhamentos extraídos da reunião entre a CONACS e o Ministério da Saúde,temos:
  1. Criação do Comitê de Desprecarização, com a participação efetiva da CONACS;
  2. Criação do GT específico para discutir a regulamentação do Piso Salarial, a partir das propostas de escalonamento apresentadas pela CONACS, os números apresentados pela CNM e os PL’s que se encontram em tramitação na Comissão Especial do PL 7495/06
PRÓXIMOS PASSOS

Nova reunião com o Ministro Saúde está marcada para o dia 02/08, e estarão presentes os Parlamentares membros da Comissão Especial. A CONACS deverá pedir ao Relator e demais Parlamentares que insistam na proposta de que o Governo encaminhe o seu PL para que a discussão avance na Comissão Especial. Essa é a condição para a categoria efetivamente se mobilizar na aprovação da regulamentação da EC 29.

Leia Mais…

CNTSS Reuni-se com o Ministro da Saúde Alexandre Padilha

A CNTSS reuniu-se com o ministro da saúde Alexandre Padilha. A audiência aconteceu, nesta quinta-feira 21, às 18h, no gabinete do ministro. Na pauta: a regulamentação da EC-63, que dispõe sobre o piso nacional; a mudança da forma de financiamento dos agentes de combate as endemias; e uma política de saúde do trabalhador ACS e ACE que lhes garanta direitos trabalhistas como: adicional a insalubridade, EPIs – equipamento de proteção individual e outros. Fernando Cândido, diretor da CNTSS iniciou argumentando que a confederação tem em seus quadros 13 sindicatos de ACS e ACE de estados diferentes e esta categoria tem cobrado a regulamentação da EC-63, o governo federal já repassa 750,00, para os municípios, que representa 69% do valor almejado pela categoria que é um salário de 1.090,00. Quanto aos Agentes de Endemias é extremamente importante que o governo federal publique uma portaria nos mesmos moldes e com o mesmo valor da portaria dos agentes comunitários de saúde e como forma do país quitar a devida com estes trabalhadores foi afirmado pelo sindicalista a necessidade do ministério da saúde promover políticas de incentivo e sobre tudo fiscalizar os municípios que não cumprem a Lei Federal 11.350 e não asseguram para a categoria os direitos trabalhistas. O coordenador geral da coordenação nacional dos ACS e ACE da CNTSS-CUT, Robson Góis resgatou que o ministro Alexandre Padilha, tem conhecimento da nossa causa, pois na época que era Ministro de relações institucionais acompanhou de perto nossa luta. Disse ainda que as propostas ali apresentadas pela CNTSS são concretas e possíveis de juntos construirmos a regulamentação do piso. Robson ainda relembrou que toda a pauta da categoria já havia sido discutida com o secretário de regulação do trabalho, professor Milton arruda no dia 18 de maio, dia em que a CNTSS fez um ato nacional de apoio a categoria e que o mesmo se comprometeu em remeter a pauta dos agentes para o comitê de desprecarização da MNNP-SUS – mesa nacional permanente do SUS, no entanto é necessário o apoio do ministro nas negociações.
O ministro da saúde, Alexandre Padilha argüiu que o compromisso de pautar as reivindicações dos agentes no comitê de desprecarização da MNNP-SUS, colocado pelo professor Milton arruda tá mantido e que temos seu apoio, mas, precisamos potencializar toda nossa força no que nos une, ou seja, precisamos definir o financiamento do Sistema Único de Saúde, pois a regulamentação do piso dos agentes, depende necessariamente da regulamentação da EC-29, o Brasil precisa definir claramente as regras de financiamento do SUS.
A Coordenação Nacional dos ACS e ACE da CNTSS/CUT se reunirá no início de agosto para discutir e analisar o saldo da reunião com o Ministro, bem como montar as estratégias de ação dentro do Comitê e da Mesa Nacional de Negociações, já que a CNTSS tem acento tanto no comitê como na MNNP-SUS.



Leia Mais…

22 de julho de 2011

UMA VERGONHA INTERNACIONAL, ACONTECE NO BRASIL !

Prefeito proíbe reclamação de funcionários por atraso de salários no interior de São Paulo
Com o decreto do prefeito de Martinópolis, os servidores públicos estão sem salários e sem liberdade de expressão: eles não recebem o pagamento desde outubro de 2010.





 
O prefeito de Martinópolis, uma cidade do interior de São Paulo, proibiu os funcionários municipais de protestar contra o atraso nos salários. Desde outubro, eles não recebem os salários em dia.

Sem salários e agora também sem liberdade de expressão.

Com o decreto do prefeito de Martinópolis "fica proibido aos servidores públicos tratar de assuntos particulares de qualquer natureza, inclusive salariais, organização de manifestação, paralisação".

"Eu acredito que o funcionário tem razão e acho que as manifestações têm que acontecer, mas dentro da nossa cidade, dentro de uma proporção que não leva o nome na mídia igual levou regionalmente e até estadualmente, porque daí eu tenho que tomar atitudes que realmente não são boas para o próprio funcionalismo", explica o Prefeito de Martinópolis Waldemir Caetano de Souza.

O advogado trabalhista contesta a legalidade do decreto. "Não pode haver conduta nesse sentido.

É um excesso. E atenta contra o direito de liberdade de manifestação", diz o advogado trabalhista Evandro Ferrari.

Essa não foi a primeira medida polêmica tomada pela prefeitura.

Sem dinheiro para pagar todos os funcionários, foi adotado o critério de ordem alfabética, só que invertida. Começando pela letra "z".

Um dos primeiros a receber foi o próprio prefeito que tem o nome iniciado com a letra “w”. Waldemir Caetano tem o maior salário da Prefeitura, mais de R$ 11 mil.


"O fato de que pagou do ‘z’ ao ‘m’ foi simplesmente o que saiu no sorteio. Não teve participação do prefeito”, fala a diretora de Administração da Prefeitura Margarete Tomazini Hermsdorff.

"Pelo recebimento de salário e remuneração, o empregado mantém seu lar, mantém sua família. É uma contraprestação contratualmente pelo trabalho exercido pelo empregado ou pelo funcionário. Então, há ilegalidade", explica o advogado sobre a ordem alfabética.

Enquanto isso, quem tem o nome entre as letras do começo do alfabeto, continua sem receber. "Eu tenho fatura que já venceu já. E acontece o seguinte: eu tenho que receber, ele achando ruim ou achando bom, ele tem que me pagar”, diz o motorista Antônio Estevam da Silva.


FONTE: Agência de Notícia Jornal Floripa.


COMPANHEIROS DE TODO BRASIL, SINCERIDADE NÃO SEI  NEM O QUE FALAR DESSE CIDADÃO.............

NÃO TENHO PALAVRAS, QUE ENCAIXE COM ESSE CIDADÃO SRº WALDEMIR CAETANO DE SOUZA.

SÓ DIGO:  ISSO É UMA VERGONHA INTERNACIONAL.

UM ABRAÇO A TODOS.

 
BIO acs é vida - Paulista-PE.

Leia Mais…

21 de julho de 2011

SOBRE OS CAMINHOS PARA A EFETIVAÇÃO, SELEÇÃO PÚBLICA E REGIME DE TRABALHO


Seguem sínteses da legislação que garante os direitos dos 
agentes:
Basta ter participado da Seleção Pública (EC nº 51/06, art. 2º, 
parágrafo único): Aquele agente de saúde ou endemias que se 10
submeteu a qualquer seleção pública, ou seja, disputou o posto 
de trabalho de agente e foi selecionado, e que se encontrava em 
plena atividade em 14 de fevereiro de 2006 deve ser efetivado.
• Criar Comissão Especial de Certificação (Lei nº 11.350/06, art. 9º, 
parágrafo único, e art. 12, parágrafos 1º  e  2º): os municípios devem criar uma comissão de certificação para analisar os processos 
de ingresso dos agentes na atividade pública, certificando quem 
passou pela seleção pública.
• Criação dos cargos ou empregos de Agentes  (Lei nº 11.350/06, 
art. 14): O prefeito deve enviar à Câmara dos Vereadores um projeto de lei para criar cargos públicos ou empregos para efetivar os 
agentes que já passaram pela seleção pública.
• Preenchimento imediato dos cargos ou empregos: A Comissão, 
ao terminar os trabalhos, certificará os agentes que fizeram sele-
ção pública, e o prefeito, por meio de Ato Normativo, realizará a 
efetivação dos agentes no serviço público, preenchendo os cargos 
criados pela Lei Municipal. 
• Permanência dos agentes no trabalho  (Lei n
o
 11.350/06, art. 17): 
Caso haja algum agente que não fez a seleção pública, o mesmo 
continuará trabalhando até o término do processo seletivo, se 
aprovado, ele continua, se não, passa a compor uma lista de espera, aguardando para ser chamado e aproveitado.
• É mais viável o regime estatutário  (Lei nº 11.350/06, art. 14): É importante que os prefeitos optem pelo regime estatutário, criando 
os cargos de agentes de saúde e endemias por ser mais econômico 
para o Poder Público do que o emprego público regido pela CLT. 
• Seleção de provas e títulos (CF, artigo 198 § 4º e Lei n
o
 11.350/2006, 
art. 9º): É importante que os prefeitos façam processos seletivos 
de provas e títulos. Nas provas, devem ser exigidas apenas matérias atinentes à natureza e complexidade das atribuições dos 
agentes: Nada de provas de português, matemática, história, geografia, etc., mas sim, o que o agente deve saber no seu dia a dia 
para aplicar no cuidado e na promoção da saúde da comunidade 
e ainda exigir os requisitos específicos para o exercício das atividades (Lei n
o
 11.350/06, arts. 6º e 7º).
• Provas de Títulos – prestígio da experiência: Para análise de tí-
tulos, a sugestão é que os cursos introdutórios de formação inicial, de capacitação continuada e de aperfeiçoamento e cada ano 
de trabalho na atividade de agente de saúde ou endemias, sejam 11
considerados nos critérios de pontuação. 
• Pagamento do salário de pelo menos o valor do incentivo da 
União: É importante que os prefeitos paguem aos agentes, a título 
de salário, valor nunca inferior ao definido anualmente e repassado pelo Ministério da Saúde às prefeituras, como incentivo para 
a contratação dos agentes. Em 2010, o valor transferido aos cofres 
dos municípios é de R$714,00 por profissional contratado. O prefeito pode pagar um valor além do incentivo da União. 
• O prefeito pode pagar valor além do incentivo da União: Pode 
ainda, o prefeito, agregar outros valores como forma de valoriza-
ção desses trabalhadores que enfrentam o sol e a chuva, a lama e a 
poeira, sobem morros e percorrem distâncias longas, frequentam 
lugares insalubres, mantém contato contínuo com pessoas portadoras de doenças infecto-contagiosas e fazem contato e manipulação de venenos, etc.
A efetivação (vínculo definitivo) desses profissionais – desprecarização da relação de trabalho com o poder público – significa estabilidade para as estratégias Programa Saúde da Família e valorização 
dos Agentes Comunitários de Saúde e Agentes de Combate às Endemias, permitindo mais investimentos do Ministério da Saúde na 
atenção primária de modo estável. 
Caso seu município ainda não tenha cumprido as regras da efetivação de acordo com as informações aqui apresentadas, abra um 
canal de diálogo com o Prefeito, com a Câmara Municipal, com a Defensoria Pública, com o Ministério Público e com os juízes de Direito, 
apresentando um exemplar desta cartilha.
FONTE: VALTENIR PEREIRA

Leia Mais…

Agenda do Ministro


Quinta-feira, 21 de Julho

9h – Despachos internos

15 – Audiência com a Confederação Nacional dos Agentes Comunitários em Saúde

18h – Audiência com a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Seguridade Social


* Agenda sujeita a alterações

Leia Mais…

Município faz Capacitação de "ACOLHIMENTO" na àrea de Saúde. (Parabéns)

MUNICÍPIO DE TIMÓTEO-MG
 
A partir de agora, ao chegar em qualquer Unidade Básica de Saúde do município, o usuário sentirá uma importante diferença, informa a assessoria de Comunicação da Prefeitura de Timóteo-MG. Trata-se de uma nova política de atendimento, com foco na humanização, que está sendo implantada pela Secretaria Municipal de Saúde através do Programa Acolher.

O profissionalismo é tão importante quanto o bom atendimento.
 
Queremos um atendimento mais humanizado junto à comunidade, com o objetivo de criar um vínculo de aproximação, fortalecendo a confiança entre paciente e os agentes de saúde”, explica o prefeito Sérgio Mendes, que fez a abertura oficial da capacitação voltada para os profissionais de saúde sobre o programa. 

O treinamento foi realizado nesta terça (19) e quarta-feira (20) no Oikós (Bairro Primavera).
 
Focada na humanização do atendimento, a Administração escolheu a pergunta "Posso ajudar?" como lema para sintetizar a nova postura de atendimento que está sendo implantando na rede municipal de saúde

ACOLHIMENTO
Em cada unidade, haverá profissionais identificados recebendo os usuários, organizando a entrada, identificando a necessidade e sinalizando o melhor direcionamento para o caso.
 
“Estamos levando esta política para o acolhimento do cidadão, capacitando nossa equipe para identificar e garantir o devido cuidado às necessidades do usuário", explica o secretário Municipal de saúde, FabianoMoreira.

 
TREINAMENTO

O treinamento abrangeu agentes de saúde, técnicos e gestores, que conheceram os pilares do Programa Acolher e receberam orientações sobre a aplicação das práticas de atendimento humanizado.
 
Entre debates, palestras, exibições de vídeos e dinâmicas de grupo, a equipe está realizando um importante intercâmbio de experiências.
 
FONTE:  JVA Oline.
 
 
 
COMPANHEIROS DE TODO BRASIL, ESTÁ PALAVRA  "ACOLHIMENTO"  É  TÃO IMPORTANTE  E  FUNDAMENTAL QUE DEVIA SER OBRIGATORIO EM TODOS BRASIL.
 
COMPANHEIROS NA ULTIMA CONFERÊNCIA DE SAÚDE QUE FUI AQUI EM MEU MUNICÍPIO, O MAIOR ÍNDICE DE RECLAMAÇÃO DOS USUARIO FOI A FALTA DE " ACOLHIMENTO ", EM TODOS OS SETORES, POIS SEI QUE ESTE PROBLEMA ACONTEÇE EM TODO BRASIL.
 
PARABÉNS AOS GESTORES DE TIMÓTEO-MG, PELA INICIATIVA; VOCÊS, O MUNICÍPIO E AS COMUNIDADES SÓ TEM A GANHAR COM ESSA INICIATIVA.
 
BIO acs é vida - Paulista-PE.

Leia Mais…
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...